terça-feira, 17 de janeiro de 2023

Coronel Tadeu apoia declaração do governador Romeu Zema sobre governo Lula e questiona narrativa da velha imprensa


Durante live transmitida pelas redes sociais, o deputado federal Coronel Tadeu comentou as declarações do governador de Minas Gerais, Romeu Zema, que afirmou que o governo Lula se omitiu na segurança dos prédios dos três poderes para se vitimizar e ter pretextos para promover a intensa perseguição política que vem empreendendo desde seu início. 

Coronel Tadeu ironizou a cobertura feita pela velha imprensa, que apresenta todos os manifestantes como “golpistas” e busca validar medidas arbitrárias como as prisões em massa que foram realizadas. O deputado apontou que há uma série de indícios da atuação de um grupo específico, que pode ter agido inclusive antes dos manifestantes sequer chegarem à região da praça dos Três Poderes, e que esses indícios vêm sendo ignorados pela velha imprensa, que trabalha pela criação de uma narrativa para justificar a perseguição em massa de cidadãos. 

O deputado pediu à polícia militar que atente a esses indícios, para que não haja culpabilização de cidadãos inocentes nem de policiais. Tadeu explicou que o controle de acesso aos prédios não é feito pela polícia militar, de forma que não é correto culpá-la, mais do que às outras entidades, pelas falhas que permitiram as invasões. O deputado apontou que o palácio do Planalto é guardado pelo GSI, o Congresso tem sua polícia legislativa, e o Judiciário tem empresas que fazem o controle de acesso. 

Coronel Tadeu apontou que a manifestação do governador Romeu Zema deve ser levada a sério, e lembrou que quase 2 mil pessoas foram presas. Ele disse: “posso pensar com os meus botões que, possivelmente, houvesse um grupo de pessoas devidamente instruído para fazer o maior quebra-quebra para colocar a culpa naquelas pessoas que estavam se manifestando no QG e não têm nada a ver com esses fatos”. 

Apoiadores do ex-presidente Jair Bolsonaro e pessoas que apenas têm um discurso diferente do imposto pelo cartel midiático vêm sendo perseguidos, em especial pelo Judiciário. Além dos inquéritos conduzidos pelo ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal, também o ex-corregedor do Tribunal Superior Eleitoral, Luís Felipe Salomão, criou seu próprio inquérito administrativo, e ordenou o confisco da renda de sites e canais conservadores, como Bárbara, do canal Te Atualizei, e a Folha Política. Toda a receita gerada pelo nosso jornal desde 1º de julho de 2021 está bloqueada por ordem do TSE, com aplauso dos ministros Luís Roberto Barroso, Alexandre de Moraes e Edson Fachin. Há mais de 18 meses, toda a renda do nosso trabalho vem sendo retida, sem qualquer previsão legal. 

Sem a possibilidade de receber a renda de seu trabalho, o jornal corre o risco de fechar. Se você apoia o trabalho da Folha Política e pode ajudar, use o QR Code que está visível na tela para doar qualquer quantia, ou use o código ajude@folhapolitica.org. Caso não utilize PIX, há a opção de transferência bancária para a conta da empresa Raposo Fernandes disponível na descrição deste vídeo e no comentário fixado no topo.

Há 10 anos, a Folha Política faz a cobertura da política brasileira, mostrando atos, pronunciamentos e eventos dos três poderes, quebrando a espiral do silêncio imposta pelo cartel de mídia que quer o monopólio da informação. Pix: ajude@folhapolitica.org


Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...