segunda-feira, 16 de janeiro de 2023

Deputado Marcel van Hattem denuncia Lula como criminoso e censura do STF ao maior jornal da Holanda


O deputado federal Marcel Van Hattem divulgou, pelas redes sociais, entrevistas que concedeu a veículos de imprensa holandeses durante sua viagem ao país. O deputado relatou que havia grande interesse sobre o Brasil em virtude da invasão aos prédios dos três poderes, e explicou: “falamos sobre a repudiável violência a que o mundo todo assistiu nas depredações aos Três Poderes no Brasil, bem como tratamos sobre o descrédito que milhões de brasileiros hoje têm nas instituições do país e a censura que está sendo imposta de forma inconstitucional e abusiva por ministros do STF e do TSE”.

O deputado relatou à imprensa internacional: “repudiei os atos violentos em Brasília de domingo passado, além de ter também contextualizado ao repórter Marc Belinfante a situação política no Brasil que, infelizmente, a maior parte da mídia europeia e internacional não divulga: Lula teve seus processos anulados pelo STF, mas o fato de ter sido condenado como criminoso (ou, crimineel, em holandês) e depois ser eleito presidente da República revolta uma massa ENORME de brasileiros. Falei também da censura que atualmente está sendo imposta a diversos políticos e cidadãos brasileiros pela Suprema Corte, algo impensável num país como a Holanda onde a liberdade de expressão e o devido processo são basilares. É fundamental que o mundo saiba o absurdo que se passa no nosso Brasil”. 

Ao divulgar o artigo "SENSATEZ HOLANDESA NO NINHO DE COBRAS BRASILEIRO", que mostra sua entrevista ao jornal holandês De Telegraaf - 09/01/2023, o deputado disse: 

“Visitei durante alguns dias do recesso parlamentar meu irmão e sua família na Holanda, onde residem. A atual situação no Brasil, contudo, chama muito a atenção da mídia internacional e aproveitei o momento também, mesmo de férias, para contatar jornalistas do país europeu e levar a eles a realidade do que acontece no Brasil.

Foi o caso da minha entrevista ao jornalista Wierd Duk, que escreve para o jornal de maior circulação da Holanda - De Telegraaf. Falamos sobre a repudiável violência a que o mundo todo assistiu nas depredações aos Três Poderes no Brasil, bem como tratamos sobre o descrédito que milhões de brasileiros hoje têm nas instituições do país e a censura que está sendo imposta de forma inconstitucional e abusiva por ministros do STF e do TSE.

O jornalista Duk também soube, com rara maestria, contar um pouco da minha história de vida pessoal, bem como da minha família paterna, que emigrou da Holanda nos anos 1960 para o Brasil. Acompanhe na tradução que fizemos da matéria escrita em holandês um pouco mais da minha trajetória e entenda melhor por que eu repito tanto que não quero viver em outro país. Quero viver em outro Brasil!”.

O deputado também divulgou o vídeo de sua entrevista, em holandês, ao principal programa de comentários de notícias diário da TV holandesa. Van Hattem disse: 

“Além do Jornal De Telegraaf, também a televisão holandesa me procurou para falar sobre a situação no Brasil. Foi na última segunda-feira (10), no dia seguinte às violentas e lamentáveis invasões aos prédios dos Três Poderes. Eu estava naquele dia visitando familiares na Antuérpia (Bélgica) e de lá gravei essa entrevista ao principal programa de aprofundamento das notícias do dia na TV Holandesa, o Één Vandaag.

Para mim foi curioso dar entrevista a esse programa específico, pois muito o assistia em casa, em Utrecht, no início da noite quando voltava das aulas do meu mestrado em Ciência Política na Universidade de Leiden, concluído em 2012. Agora como entrevistado, repudiei os atos violentos em Brasília de domingo passado, além de ter também contextualizado ao repórter Marc Belinfante a situação política no Brasil que, infelizmente, a maior parte da mídia europeia e internacional não divulga: Lula teve seus processos anulados pelo STF, mas o fato de ter sido condenado como criminoso (ou, crimineel, em holandês) e depois ser eleito presidente da República revolta uma massa ENORME de brasileiros. Falei também da censura que atualmente está sendo imposta a diversos políticos e cidadãos brasileiros pela Suprema Corte, algo impensável num país como a Holanda onde a liberdade de expressão e o devido processo são basilares. É fundamental que o mundo saiba o absurdo que se passa no nosso Brasil!

Assista à entrevista e não se assuste: estou falando em holandês mesmo, idioma que aprendi ainda pequeno. Sempre falei em holandês com meu pai, que nasceu na cidade de Scheemda, Holanda, e veio para o Brasil com seus pais quando tinha apenas 7 anos. Por esse motivo mantenho ainda fortes vínculos com os Países Baixos, onde já morei, estudei e empreendi antes de retornar ao Brasil e à política em 2013”.

No artigo divulgado pela imprensa escrita, Van Hattem apontou aos holandeses: ““Vozes críticas são caladas pelo Supremo Tribunal Federal. Contas em redes sociais de políticos que questionam as circunstâncias da eleição presidencial, na qual Lula venceu Bolsonaro, têm sido bloqueadas. Milhares de postagens e vídeos foram removidos e o passaporte de um jornalista brasileiro que está nos Estados Unidos acabou de ser retido." 

O jornal assinalou que a situação já vem sendo denunciada na imprensa internacional e que Van Hattem também sofre censura. O artigo diz: “A imprensa internacional, entre outros o New York Times, critica a atual situação. Também Van Hattem, que representa o partido reformista de direita NOVO, questiona a 'censura' promovida pelo Supremo Tribunal Federal, que estaria nas mãos do Lula. “Não sou Bolsonarista, mas defendo enfaticamente

a liberdade de expressão.” Logo também ele recebeu uma advertência. Van Hattem mostra o processo: “Aqui está escrito que, sob pena de altas multas, não posso me pronunciar publicamente sobre assuntos tais como o resultado da eleição ou o funcionamento do Estado de Direito.” E agora parece que uma verdadeira revolta foi desencadeada”.

No contexto atual do Brasil, muitas pessoas estão sendo tratadas como sub-cidadãos, pelo simples motivo de terem manifestado apoio ao ex-presidente Jair Bolsonaro. Por expressarem suas opiniões, são alvo de CPIs, de inquéritos secretos conduzidos pelo ministro Alexandre de Moraes no Supremo Tribunal Federal, ou são vítimas de medidas arbitrárias como prisões políticas, apreensão de bens, e exposição indevida de dados, entre outras. 

A totalidade da renda da Folha Política,assim como de outros canais e sites conservadores, está sendo confiscada a mando do ex-corregedor do TSE, Luís Felipe Salomão, com o apoio e aplauso dos ministros Luís Roberto Barroso, Alexandre de Moraes e Edson Fachin. Há mais de 18 meses, todos os rendimentos do jornal estão sendo retidos sem justificativa jurídica. Se você apoia o trabalho da Folha Política e pode nos ajudar a continuar nosso trabalho, doe qualquer valor através do Pix, usando o QR Code que está visível na tela, ou com o código ajude@folhapolitica.org. Se preferir transferência ou depósito, a conta da empresa Raposo Fernandes está disponível na descrição deste vídeo e no comentário fixado no topo. 

Há 10 anos, a Folha Política vem mostrando os eventos da política brasileira e dando voz a pessoas que o cartel midiático quer manter invisíveis. Pix: ajude@folhapolitica.org


Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...