sábado, 21 de janeiro de 2023

Deputado Sanderson denuncia ministro do GSI de Lula por prevaricação no 8 de janeiro


O deputado Sanderson, em vídeo divulgado pelas redes sociais, informou que levou ao conhecimento do procurador-geral da república os novos indícios da omissão do ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional de Lula. O deputado lembrou que já havia apresentado uma representação contra integrantes do governo Lula, por terem conhecimento prévio de que haveria invasões a prédios públicos e terem se omitido, de forma aparentemente intencional. 

O deputado apontou: 

“A POSSÍVEL OMISSÃO DO MINISTRO-CHEFE DO GSI (GENERAL APOSENTADO GONÇALVES DIAS, FAMOSO POR SER DA INTEIRA CONFIANÇA DE LULA), PRECISA SER IMEDIATAMENTE APURADA PELA PGR.

AINDA NA TERÇA-FEIRA (17.01) OFICIEI AO PGR (PROCURADOR GERAL DA REPÚBLICA) NESSE SENTIDO.

HOJE A REVISTA VEJA REVELOU MENSAGENS QUE TAMBÉM APONTAM PARA UMA POSSÍVEL OMISSÃO DO GSI.

ESSA SITUAÇÃO CARECE DE UMA INVESTIGAÇÃO COMPLETA, CAPAZ DE ELUCIDAR OS FATOS TODOS.

ALÉM DISSO, VAMOS BUSCAR A INSTALAÇÃO DE UMA CPI NA C MARA DOS DEPUTADOS PARA TAMBÉM APURAR OS FATOS EM TODA SUA EXTENSÃO”.

No ofício, o deputado ressalta que 48 órgãos do governo federal foram informados sobre a possibilidade de invasão aos prédios, e que o ministro chefe do GSI não apenas não se preparou para defendê-los, mas também dispensou um pelotão que estava em serviço. O texto aponta: 

“Chama a atenção, nesse sentido, o fato de ter o Ministro-Chefe do GSI dispensado um pelotão do Batalhão da Guarda Presidencial horas antes do vandalismo. Naquele momento, a manifestação já era de conhecimento de todos, e milhares de pessoas já estavam se deslocando rumo à Praça dos Três Poderes, permanecendo o Palácio do Planalto desguarnecido até a chegada dos manifestantes à esplanada dos ministérios, oportunidade na qual a decisão anterior foi revista e o pelotão com 30 homens reenviado - número notadamente inferior ao necessário”. 

No vídeo, o deputado afirma: “essa situação do GSI, com possível omissão, precisa ser investigada. Talvez tenha aí o crime de prevaricação. Temos 1400 pessoas detidas e justiça tem que ser feita: os culpados têm que ser punidos com os rigores da lei, por terem vandalizado prédios públicos, mas não podemos aceitar que inocentes estejam presos, já, há mais de 10 dias. Esperamos que a procuradoria-geral da República investigue os fatos em toda a sua extensão”.

Leia o ofício enviado pelo deputado Sanderson à PGR.





No contexto atual do Brasil, muitas pessoas estão sendo tratadas como sub-cidadãos, pelo simples motivo de terem manifestado apoio ao ex-presidente Jair Bolsonaro. Por expressarem suas opiniões, são alvo de CPIs, de inquéritos secretos conduzidos pelo ministro Alexandre de Moraes no Supremo Tribunal Federal, ou são vítimas de medidas arbitrárias como prisões políticas, apreensão de bens, e exposição indevida de dados, entre outras. Para esses “sub-cidadãos”, não há direitos humanos, garantias fundamentais ou devido processo legal. 

A totalidade da renda da Folha Política, assim como de outros canais e sites conservadores, está sendo confiscada a mando do ex-corregedor do TSE, Luís Felipe Salomão, com o apoio e aplauso dos ministros Luís Roberto Barroso, Alexandre de Moraes e Edson Fachin. Há mais de 18 meses, todos os rendimentos do jornal estão sendo retidos sem justificativa jurídica. Se você apoia o trabalho da Folha Política e pode nos ajudar a continuar nosso trabalho, doe qualquer valor através do Pix, usando o QR Code que está visível na tela, ou com o código ajude@folhapolitica.org. Se preferir transferência ou depósito, a conta da empresa Raposo Fernandes está disponível na descrição deste vídeo e no comentário fixado no topo. 

Há 10 anos, a Folha Política vem mostrando os eventos da política brasileira e dando voz a pessoas que o cartel midiático quer manter invisíveis. Pix: ajude@folhapolitica.org


Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...