segunda-feira, 23 de janeiro de 2023

Economistas, parlamentares e cidadãos criticam proposta de Lula de moeda única com Argentina: ‘vai quebrar o Brasil’


Após a divulgação, pela imprensa internacional, de que o presidente Lula planeja uma moeda única com a Argentina, parlamentares, economistas e cidadãos manifestaram, pelas redes sociais, sua indignação e contrariedade. 

O senador Carlos Portinho apontou: “Nossa moeda e economia indo para o mesmo buraco da Argentina em 3,2,1…! Todo dia é uma besteira nova! Preparem-se. Não há como dar certo. Né má vontade não. Sinceramente”. 

O senador eleito Rogério Marinho disse: “Impressionante!!! o Lula em tão pouco tempo trabalhar tanto para destruir nossa economia. Resistir ao desmonte é palavra de ordem”.

O senador Ciro Nogueira disse: “Peso fraco + real enfraquecendo = grama. O nome da nova moeda  portenho-brasileira: Um Grama. Vale quanto pesa”.

O senador eleito Sergio Moro afirmou: “Propor moeda comum com a Argentina é cortina de fumaça para a inexistência, até o momento, de qualquer projeto substancial para a economia brasileira e ilustra que o Governo do PT segue sem rumo”.

O deputado Paulo Eduardo Martins afirmou: “A moeda única com a Argentina será a maior imbecilidade do Brasil republicano. Aliás, será o seu fim”.

O empresário Otávio Fakhoury disse: “MOEDA UNICA BRASIL-ARGENTINA? Acreditem, tenho 20 anos de experiência de trabalho no mercado de câmbio, e posso dizer: O PT VAI QUEBRAR O BRASIL!!”

A economista Renata Barreto afirmou: “Lula e Alberto Fernandez discutem moeda em comum para redução de custos operacionais e reduzir a dependência do dólar. Isso é a teoria. Na prática, vamos financiar dívida de mau pagador, ter a economia toda indexada ao dólar e afugentar investimentos. Ideia genial”.

A deputada Bia Kicis lamentou: “Real. Da moeda que mais valorizou dentre os países emergentes ao prenúncio do caos”.

O investidor Leandro Ruschel disse: “O Financial Times afirma que o governo brasileiro busca criar uma moeda comum com a Argentina, e convidará outros países a participarem do projeto. O objetivo do descondenado é levar adiante o plano da "Pátria Grande" comunista, unindo toda a América Latina”. Ele acrescentou: “Lendo sobre a absurda proposta de criação de uma moeda única entre Brasil, e a completamente quebrada Argentina, lembrei de uma frase de Lênin: "os interesses do socialismo estão acima da autodeterminação das nações"”. 

O deputado federal eleito Delegado Paulo Bilynskyj afirmou: “Uma moeda única do Mercosul é a forma mais rápida de importar pobreza para o Brasil”.

O vice-prefeito de Porto Alegre, Ricardo Gomes, alertou: “O PT acabou com muita coisa no Brasil, mas ainda não tinha conseguido destruir o plano real. Agora essa ideia de moeda única com a Argentina é a tentativa final. Lembram da hiperinflação? Se não lembram, estudem. Nossa emissão ficaria subordinada a Lula e ao kirchnerismo”.

A escritora Claudia Wild apontou: “Comunistas tupiniquins e argentinos já iniciaram o planejamento de uma moeda única para os dois países. O Brasil caminha, a passos bem largos, para o completo desastre econômico. Ainda teremos saudade do governo da presidentA atrapalhada”.

A vereadora Gabriela Rodart  disse: “Um dos itens que compõem a independência de um país é a sua moeda corrente. Abrir mão disso é entregar parte da soberania. E essa conversa de moeda comum com a Argentina vem justamente dos palhaços que vivem falando em interesse nacional. 22 dias e já é um desastre total”.

O deputado Guiga Peixoto alertou: “Acorda brasileiros!! Não existe NADA de ROMANTISMO no COMUNISMO!! Amanhã reunião com os irmanos Argentinos, com a participação de Cuba e Venezuela. Assunto principal: MOEDA ÚNICA”.

A deputada estadual Letícia Arsenio questionou: “Por que seria interessante para o Brasil ter uma moeda com um país que a inflação está em 94,8%?”

O deputado Alexandre Freitas lembrou: “Esse ano o plano real fará 30 anos. Com a moeda única, o Regime pretende destruir a política pública que revolucionou o Brasil, acabando com a histórica hiperinflação que hoje assola a Argentina, obra da esquerda peronista. O fundo do poço é a única certeza que temos”.

O deputado Bibo Nunes lamentou: “Querer moeda única com a Argentina, país quebrado e socialista, demonstra que o ex-presidiário não está preocupado com o Brasil, mas em apoiar países com viés socialista/comunista. Deita o L aí!”

O cronista Paulo Polzonoff questionou: “Lula pode decidir esse troço de moeda única sozinho? (Ou tem que perguntar pro Alexandre de Moraes primeiro?). Mas, sério, Congresso não apita nada?”.

O ativista Henrique Olliveira disse: “Segundo o jornal FINANCIAL TIMES, BRASIL e ARGENTINA iniciam preparativos para uma moeda comum. QUE LOUCURA É ESSA? Que benefício existe em uma moeda única com um país ECONOMICAMENTE DESTRUÍDO? Qualquer um com cérebro sabe que isso é uma ideia ABSURDA e que destruirá o Brasil!”.

O lutador Igor Araujo afirmou: “Brasil e Argentina vão anunciar moeda única, essa semana.

Está muito mais rápido do que pensávamos. Diziam que nos dois primeiros anos o Lula "pegaria leve", mas o PT vem com tudo. Será que o Brasil aguenta?”

O deputado estadual Anderson Moraes disse: “Nossa moeda, que vinha numa ascendente, começa a evaporar com as trapalhadas conscientes da ekipi cônomica do desgoverno do fazueli! Fazendo o L!”.

O jurista Fabricio Rebelo questionou: “Pergunta objetiva: qual a vantagem para o Brasil em ter uma moeda única com a Argentina, cuja economia está em frangalhos?”.

A deputada eleita Júlia Zanatta disse: “Moeda única mais um absurdo do desgoverno petê revanchista de extrema esquerda movido ao ódio que não tem plano, não tem rumo e não sabe o que fazer com a economia do país - basta ver quem nomearam para ministro da economia - o poste”.

O advogado Deonisio Rocha ironizou: “Uma moeda única do Mercosul é a forma mais rápida de importar pobreza para o Brasil. Já que a criação aqui seria muito demorada querem importa-la”.

O deputado estadual eleito Tenente Coimbra alertou: “A fuga do capital e a dolarização das contas bancárias será gigante nas próximas semanas. Se segura, pois a moeda única pode vir aí”.

O economista Alan Ghani disse: “Moeda única para salvar a Argentina. Vão afundar ainda mais a Argentina e gerar hiperinflação no Brasil. Será o abraço dos afogados”.

O economista Ubiratan Jorge Iorio apontou: “Unificar a nossa moeda com a de um país com 100% de inflação, câmbio oficial, câmbio negro, caloteiro internacional e com a economia em frangalhos. Só jericos para terem essa ideia!”.

A internauta Ludina Machowsky lamentou: “Real terminou com Bolsonaro como a segunda moeda que mais valorizou em 2022. Com 20 dias de Lula, é a mais desvalorizada do mundo”.

O deputado estadual Fábio Ostermann disse: “Inacreditável que Lula realmente esteja sequer considerando criar uma moeda comum do Brasil com a Argentina.  É tipo abrir uma conta conjunta com aquele amigo caloteiro que deve pra todo mundo e está desempregado. Não faz NENHUM sentido!”.

A ditadura da toga segue firme. O Brasil tem hoje presos políticos e jornais, parlamentares e influenciadores censurados. A Folha Política tem toda sua receita gerada desde 1º de julho de 2021 confiscada por uma ‘canetada’ do ministro Luis Felipe Salomão, ex-corregedor do TSE, com o aplauso e o respaldo dos ministros Luís Roberto Barroso, Alexandre de Moraes e Edson Fachin. Além disso, todas as receitas futuras do jornal obtidas por meio do Youtube estão previamente bloqueadas. Há mais de 18 meses, todos os rendimentos do jornal estão sendo retidos sem justificativa jurídica. 

Anteriormente, a Folha Política teve sua sede invadida e TODOS os seus equipamentos apreendidos, a mando do ministro Alexandre de Moraes. Mesmo assim, a equipe continuou trabalhando como sempre, de domingo a domingo, dia ou noite, para trazer informação sobre os três poderes e romper a espiral do silêncio imposta pela velha imprensa, levando informação de qualidade para todos os cidadãos e defendendo os valores, as pessoas e os fatos excluídos pelo mainstream, como o conservadorismo e as propostas de cidadãos e políticos de direita.

Se você apoia o trabalho da Folha Política e pode ajudar a evitar que o jornal seja fechado pela ausência de recursos para manter sua estrutura, cumprir seus compromissos financeiros e pagar seus colaboradores, doe por meio do PIX cujo QR Code está visível na tela ou por meio do código ajude@folhapolitica.org. Caso não utilize PIX, há a opção de transferência bancária para a conta da empresa Raposo Fernandes disponível na descrição deste vídeo e no comentário fixado no topo.

A Folha Política atua quebrando barreiras do monopólio da informação há 10 anos e, com a sua ajuda, poderá se manter firme e continuar a exercer o seu trabalho. PIX: ajude@folhapolitica.org


Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...