quarta-feira, 25 de janeiro de 2023

Temer reage e desmoraliza Lula sobre ‘golpe’: ‘Parece insistir em manter os pés no palanque e os olhos no retrovisor’


O ex-presidente Michel Temer, em nota à imprensa, respondeu às declarações de Lula, que segue afirmando que Dilma foi vítima de um golpe do Congresso e do Supremo Tribunal Federal, e que acrescentou que Temer e Bolsonaro teriam “destruído” seu suposto legado. 

Na nota, Temer explicou que o uso do instrumento constitucional do impeachment nada tem de “golpe” e ironizou as declarações de Lula sobre o governo, mostrando que, após os governos petistas, os outros governos recuperaram a economia e as estatais saqueadas na era petista. 

Ouça a nota do ex-presidente Michel Temer. 

“NOTA À IMPRENSA

Mesmo tendo vencido as eleições para cuidar do futuro do Brasil, o presidente Luis Inacio Lula da Silva parece insistir em manter os pés no palanque e os olhos no retrovisor, agora tentando reescrever a história por meio de narrativas ideológicas.

Ao contrário do que ele disse hoje em evento internacional, o país não foi vítima de golpe algum. Foi na verdade aplicada a pena prevista para quem infringe a Constituição. 

E sobre ele ter dito que destruí as iniciativas petistas em apenas dois anos e meio de governo, é verdade: destruí um PIB negativo de 5% para positivo de 1,8%; inflação de dois dígitos para 2,75%; juros de 14,25 para 6,5%; queda do desemprego ao longo do tempo de 13% para 8% graças a reforma trabalhista; recuperação da Petrobras e demais estatais graças a Lei das Estatais; destruí a Bolsa de Valores que cresceu de 45 mil pontos para 85 mil pontos.

Cometi a destruição de elevar o recorde na produção de grãos, nas exportações e na balança comercial. Como se vê, com a nossa chegada ao governo o Brasil não sofreu um golpe institucional, foi sim “vítima” de um Golpe de Sorte.

Recomendo ao presidente Lula que governe olhando para a frente, defendendo a verdade, praticando a harmonia e pregando a paz”.

O senador Carlos Portinho parabenizou o ex-presidente: “Muito bem, Temer. Tenho dito o mesmo: “desçam do palanque”! Que o governo governe! Todo dia é uma besteira nova. Continua em campanha enquanto problemas graves que são criados pelo novo governo só aumentam a instabilidade. Isso em menos de 30 dias de mandato. Haja paciência!”.

O deputado Paulo Eduardo Martins comentou: “Com elegância, Temer rebate os ataques institucionais de Lula”. Anteriormente, o deputado havia dito: “Na Argentina, Lula diz que o impeachment de Dilma foi um golpe de Estado. É um ataque brutal do chefe do executivo ao Congresso Nacional e ao STF, que executaram o Impeachment”. Martins questionou: “Lula tem licença pra atacar as instituições democráticas?”

O deputado Sanderson, pelas redes sociais, repudiou as declarações de Lula e afirmou que é motivo para impeachment. Ele disse: “Ao afirmar em discurso oficial e público que o impeachment de Dilma Rousseff foi um golpe de estado, Lula atenta contra os Poderes e contra a Constituição Federal, situação que por si só impõe a abertura de impeachment pela flagrante prática de crime de responsabilidade”.

O deputado eleito Mauricio Marcon perguntou: “Se Temer é um golpista como prega o ex condenado, todos seus atos como presidente deveriam ser revogados, incluindo aqui a indicação de Alexandre de Moraes para o STF. Então Xandão, vai ficar quietinho agora ou vai punir Lula por atacar o impeachment constitucional de Dilma?”. 

A deputada estadual Janaina Paschoal, autora do pedido de impeachment, apontou: “Presidente Lula não está mais no palanque. Ele é Chefe de Estado e ofende as Instituições ao dizer que o Processo Constitucional do Impeachment foi um golpe de Estado. O processo tramitou na Câmara dos Deputados e no Senado Federal e foi presidido pelo então Presidente do STF!”. A deputada questionou se os agentes que, alegadamente, “contiveram ímpetos” da direita farão o mesmo contra o visível extremismo de esquerda: “Saímos do populismo patriota para o populismo bolivariano. O Brasil parece mesmo assombrado por um pêndulo do atraso. Espero que as mesmas instituições que contiveram os ímpetos de um, até excedendo competências, contenham os arroubos do outro. Se não, estaremos "lascados"!”.

O colunista Guilherme Macalossi apontou: “Lula chama Temer de golpista. [z27] Por obrigação lógica, tem de chamar de golpista o seu vice, que apoiou o afastamento de Dilma, assim como seus aliados Renan Calheiros e Eunício Oliveira, que votaram a favor. E Ricardo Lewandowski, que presidiu o processo como presidente do STF”.

O deputado federal Marcel van Hattem ironizou: “Já faz mais de 24h que Lula atacou as instituições brasileiras, Congresso e STF, chamando o impeachment constitucional de Dilma Rousseff de golpe de Estado. Alguém sabe dizer se o ministro Alexandre de Moraes já incluiu o extremista de esquerda no inquérito das fake news?”

A ditadura da toga segue firme. O Brasil tem hoje presos políticos e jornais, parlamentares e influenciadores censurados. A Folha Política tem toda sua receita gerada desde 1º de julho de 2021 confiscada por uma ‘canetada’ do ministro Luis Felipe Salomão, ex-corregedor do TSE, com o aplauso e o respaldo dos ministros Luís Roberto Barroso, Alexandre de Moraes e Edson Fachin. Além disso, todas as receitas futuras do jornal obtidas por meio do Youtube estão previamente bloqueadas. Há mais de 18 meses, todos os rendimentos do jornal estão sendo retidos sem justificativa jurídica. 

Anteriormente, a Folha Política teve sua sede invadida e TODOS os seus equipamentos apreendidos, a mando do ministro Alexandre de Moraes. Mesmo assim, a equipe continuou trabalhando como sempre, de domingo a domingo, dia ou noite, para trazer informação sobre os três poderes e romper a espiral do silêncio imposta pela velha imprensa, levando informação de qualidade para todos os cidadãos e defendendo os valores, as pessoas e os fatos excluídos pelo mainstream, como o conservadorismo e as propostas de cidadãos e políticos de direita.

Se você apoia o trabalho da Folha Política e pode ajudar a evitar que o jornal seja fechado pela ausência de recursos para manter sua estrutura, cumprir seus compromissos financeiros e pagar seus colaboradores, doe por meio do PIX cujo QR Code está visível na tela ou por meio do código ajude@folhapolitica.org. Caso não utilize PIX, há a opção de transferência bancária para a conta da empresa Raposo Fernandes disponível na descrição deste vídeo e no comentário fixado no topo.

A Folha Política atua quebrando barreiras do monopólio da informação há 10 anos e, com a sua ajuda, poderá se manter firme e continuar a exercer o seu trabalho. PIX: ajude@folhapolitica.org


Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...