sexta-feira, 24 de março de 2023

Deputada Júlia Zanatta reage a ataque de Lula, Lindbergh e Gleisi Hoffmann para cassar seu mandato: ‘quando mulheres como eu chegam a um ambiente como este, tratam logo de persegui-las’


Da tribuna da Câmara, a deputada federal Júlia Zanatta respondeu às acusações feitas pela extrema-esquerda, assim como ao pedido de “investigação” feito pelo ministro de Lula, Flávio Dino, nos inquéritos políticos conduzidos pelo ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal. 

A deputada ironizou a hipocrisia da extrema-esquerda, que diz defender mulheres da chamada “violência política de gênero” ao mesmo tempo em que promove ataques abertos a mulheres conservadoras. Relatando atos da presidente do PT, Gleisi Hoffmann, Zanatta disse: “Eu, uma jornalista, advogada e Deputada Federal, não sirvo como exemplo de mulher para ela. Para ela, eu posso ser humilhada, ameaçada e ter a minha voz calada porque não sirvo à agenda ideológica a que ela é submissa”. 

Júlia Zanatta afirmou: “Eles gritam: "Mais mulheres na política! Políticas públicas para mulheres!" Mas, quando mulheres como eu chegam a um ambiente como este, tratam logo de persegui-las, pela simples liberdade de se expressar um conceito de resistência à tirania” 

O deputado Lindbergh Farias respondeu à deputada reproduzindo as narrativas criadas pela extrema-esquerda, que trocam a arma que a deputada segurava e também o texto de sua camiseta, sem sofrer qualquer “checagem de fatos” pelas “agências”. 

Respondendo ao deputado, que disse que ela será julgada no Supremo Tribunal Federal, Zanatta disse: “Os seus colegas também serão julgados no Supremo Tribunal Federal. Os colegas que me caluniaram, difamaram também serão julgados no Supremo Tribunal Federal”. Ela disse: “Afinal de contas, quem vai definir o que é democracia? Os colegas Deputados do PT? É esse o tipo de comportamento que eles querem. Já falaram em cassação do meu mandato, do mandato do Deputado Nikolas, do mandato do Deputado Fahur, do mandato do Deputado André. De quem mais? Ora, esse é o tipo de democracia que os senhores querem? Não me parece que queiram ajuda para aprovar coisas importantes para o País, pois não falam em propostas econômicas, em nada de bom. Estamos esperando”. 

Nos inquéritos políticos conduzidos pelo ministro Alexandre de Moraes no Supremo Tribunal Federal, bastam petições apresentadas por parlamentares de extrema-esquerda para que conservadores sejam submetidos a “medidas cautelares” sem prazo de duração, sem consulta ao Ministério Público, e sem acesso ao devido processo legal. 

Apoiadores do ex-presidente Jair Bolsonaro e pessoas que apenas têm um discurso diferente do imposto pelo cartel midiático vêm sendo perseguidos, em especial pelo Judiciário. Além dos inquéritos conduzidos pelo ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal, também o ex-corregedor do Tribunal Superior Eleitoral, Luís Felipe Salomão, criou seu próprio inquérito administrativo, e ordenou o confisco da renda de sites e canais conservadores, como Bárbara, do canal Te Atualizei, e a Folha Política. Toda a receita de mais de 20 meses do nosso trabalho está bloqueada por ordem do TSE, com aplauso dos ministros Luís Roberto Barroso, Alexandre de Moraes e Edson Fachin. 

Sem a possibilidade de receber a renda de seu trabalho, o jornal corre o risco de fechar. Se você apoia o trabalho da Folha Política e pode ajudar, use o QR Code para a empresa Raposo Fernandes, ou use o código ajude@folhapolitica.org. Caso prefira, há a opção de transferência bancária para a conta da empresa Raposo Fernandes disponível na descrição deste vídeo e no comentário fixado no topo.

Há 10 anos, a Folha Política faz a cobertura da política brasileira, mostrando atos, pronunciamentos e eventos dos três poderes, quebrando a espiral do silêncio imposta pelo cartel de mídia que quer o monopólio da informação.


Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...